quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Palavra para a Semana (de Rick Joyner) nº 25


O Exército de Deus se Mobiliza, parte 25

Existem muitas formas em que a natureza da igreja irá mudar, e uma das formas mais básicas será a de que assumiremos um comportamento militar. Somos chamados para ser um exército, e veremos a igreja se tornar uma das forças mais poderosas, disciplinas e eficazes que o mundo já conheceu antes do fim destes tempos. Como temos também abordado, existem também formas básicas em que seremos diferentes de qualquer exército humano porque as armas de nossa batalha não são carnais. Fomos enviados para salvar vidas, não as tirar – libertar pessoas, não as conquistar.

Um elemento que um exército tem que a igreja realmente poderia usar é o treinamento e posicionamento de seu povo. Quando você adentra um exército, a primeira coisa que você faz é passar por treinamento básico. Quando, por uma bateria de testes, são determinadas suas habilidades, então você é enviado para mais treinamento naquela área. Então, você é enviado para uma unidade com uma tarefa específica, algo que você saiba fazer, e que todos à sua volta também sabem que você sabe fazê-la. Devido ao fato de todos no exército terem passado pelo treinamento básico, todos são soldados, e, surgindo necessidade, qualquer secretário, cozinheiro ou técnico pode manejar um revólver e manter seu posto.

Isso é basicamente o que Efésios 4 diz a respeito de como a igreja deve ser, exigindo que todos estejam preparados para o trabalho ministerial. “A partir do qual todo o corpo, bem ajustado e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para a edificação de si mesmo em amor.” (Efésios 4:16)

Para se ter êxito em qualquer coisa, deve-se executar bem os pontos básicos, mas esta é atualmente uma das maiores áreas ou fraquezas no corpo de Cristo hoje. As pessoas de maior êxito em qualquer área serão as que fazem melhor o básico – que o praticam continuamente independente de quão avançadas estejam em suas áreas. No entanto, é raro no corpo de Cristo hoje se achar uma igreja, mover ou denominação que ensine bem os pontos básicos. Alguns dos que têm uma reputação de fazê-lo tem sido achados fazendo-o escassamente, se não da pior forma. Isso não é minha opinião, mas estudos que têm realizado sobre si mesmos revelam isso. Na maior denominação Pentecostal, descobriu-se que somente 25 por cento de seu povo havia recebido o batismo no Espírito Santo. Eles crêem nisso mas não o receberam.

Da mesma forma, tenho conversado com evangelistas Batistas bem conhecidos que crêem que metade das pessoas que são membras de igrejas Batistas realmente nasceram de novo. Comecei a perguntar, a Batistas que eu encontrava, quando que nasceram de novo, e quase sempre recebia como resposta a mesma postura deles admitirem que nunca nasceram assim e sequer entendiam isso. Começamos a falar vinte anos atrás que era hora dos salvos serem salvos, e isso é mais verdade agora do que era então. É fácil freqüentar fielmente uma igreja e nunca ter nascido de novo ou ter entregue sua vida ao Senhor. Alguns freqüentam fielmente a igreja por toda a vida e nunca passaram por isso. Em um verdadeiro exército, nenhum recruta se esquivaria por rachaduras assim.

Conheço pastores de grandes de grandes igrejas que ficam bravos quando centenas de pessoas de sua congregação respondem a um convite do altar para a salvação básica. Ouvi um dizer que o pregador acabara de lançar condenação sobre o seu povo. A verdade é que muitos em nossas igrejas, e muitos que estiveram lá por anos, nunca nasceram de novo ou entregaram suas vidas ao Senhor, e o fariam se apenas lhes fosse perguntado! Muitos desses estão lá por tanto tempo que têm vergonha demais para responder a uma chamada pública ao altar; precisamos então de outra rampa de entrada para essas pessoas. Você pode ter certeza que isso fortalecerá a sua igreja se as pessoas nela forem salvas!

Isso não é para condenar ninguém, nem mesmo os líderes que podem ter sido negligentes, mas para trazer correção. Se não corrigirmos isso, certamente seremos condenados quando estivermos diante do Senhor quando prestarmos conta de como cuidamos dos que foram confiados a nós. Mesmo assim, não precisamos envergonhar a ninguém que precisa nascer de novo. Precisamos fornecer ensinamentos claros com oportunidades fornecidas regularmente para as pessoas que freqüentam nossas igrejas para se arrependerem de seus pecados, colocando sua confiança na cruz de Jesus para sua expiação, ser batizados nas águas e no Espírito Santo para selar seu compromisso, e entregarem completamente suas vidas ao Senhor em obediência a Ele e para verdadeiro discipulado.

É claro que eu já compartilhei isso e o farei novamente. Assim como Moisés recitou toda a Lei novamente logo antes do povo ir para a Terra Prometida, que é onde temos o livro de Deuteronômio, precisamos repetidamente voltar e verificar o básico antes de seguir para coisas maiores. Estarei abordando algumas questões aprofundadas nesse estudo, mas nunca, jamais esqueçamos o básico.

[permissão para tradução gentilmente concedida pelo ministério MorningStar, www.morningstarministries.org]

Um comentário:

prluciano disse...

Obrigado por voltar com as traduções .Que Deus te abençõe muito e poste o que estiver em seu coração.
luciano